É doido O CARA? JOSÉ MOURINHO,TREINADOR DO CHELSEA, DISPENSA DAVI LUIZ?

É doido O CARA?

JOSÉ MOURINHO,TREINADOR DO CHELSEA, DISPENSA DAVI LUIZ?

Chelsea's David Luiz celebrates after scoring a goal against Basel du

 

   Aquele “perigoso poder independente” de que alguns técnicos tanto gostam e de que tanto extravasam, está dando dor de cabeça ao bilionário russo-israelense dono do Chelsea  Roman Arkadyevich Abramovich, que também é dono, através de uma de suas empresas, do time russo CSKA Moscou.

    Abramovich, conhecido nos círculos do big business como “o dono da última palavra” nas negociações, contratou o português José Mourinho como novo técnico do Chelsea, por quatro temporadas, pela primeira vez em junho 2004 e  em   Fevereiro de 2005,  ele venceu o Liverpool por 3-2 na decisão da  Taça da Liga inglesa e conquista o seu primeiro troféu, como treinador do Chelsea. Dois meses mais tarde, em  de 2005, Mourinho volta a cometer outra proesa;  sagra-se campeão inglês após ter vencido o Bolton na partida da decisão,  por 2-0. E o  Chelsea não ganhava esse Campeonato havia 50 anos. Em  Maio de 2005,  Chelsea com Mourinho, é eliminado da Liga dos Campeões  Europeus pelo Liverpool, nas meias finais. Todavia, o badalado técnico Mourinho viu o seu contrato renovado   com o   Chelsea, por iniciativa do magnata Roman Abramovich.

     Na seqüência desse novo pacto,na temporada  seguinte, 2005/2006, Mourinho e o Chelsea,  voltam a conquistar o Troféu da primeira liga britânica.  Em setembro de 2007, Roman Abramovich, troca Mourinho pelo técnico israelense Avram Grant, após a rescisão do contrato, por mútuo acordo.

     Em Junho de 2013,José Mourinho  estava desembarcando, de novo  no  Chelsea   como  técnico do clube por quatro temporadas.

     Nas terras da  rainha, Mourinho fez por onde, popularizou o seu apelido de  “The Special One” ao se intitular assim  na sua primeira entrevista como treinador do Chelsea.

     Ele passa a ser idolatrado no Stamford Bridge, enquanto isso Roman Abramovich, se vale dessa situação para projetar mais além o status do seu grande empreendimento econômico no Chelsea.

       E começa desta maneira, um perigoso jogo do poder  através da limitação de um pelo outro, num sistema de circuito funcional  fechado  em que  a inteligência e as finanças do  magnata relutam contra o espaço inquestionável e  pesado do  técnico, numa injusta intranqüilidade surda e incerta, buscando ambos    se  entenderem, em torno de um retângulo aonde só pode ter um galo cantando.

      Os “amargos de boca”, entre o técnico e determinados jogadores de peso do Chelsea, ficados após a primeira saída de Mourinho, – entre esses jogadores, Juan Mata, David Luiz e os outros-  fizeram crescer notícias da saída e de alguns deles, após a confirmação do  retorno  de Mourinho.

      Nos jogos oficiais recentes e nos treinos do Chelsea, Mourinho tem deixado clara a sua preferência pela dupla  de zagueiros que ele vem escalando:  Cahill e Terry.

      A Imprensa inglesa e catalã revelam que Mourinho vem bancando a saída do seu elenco, do craque da seleção brasileira Davi Luiz, considerado um dos melhores zagueiros do mundo. Alias, David Luiz,  tem sido, literalmente, alijado,( ou mesmo fritado) por Mourinho.

      Círculos próximos ao magnata dono do Chelsea, confidenciam que esta atitude de Mourinho contra Davi Luiz, vem angustiando  Roman Abramovich que tem afirmado aos seus assessores  dizendo: a última palavra no Chelsea é a minha e não do técnico José Mourinho.”

  Na rota do surgimento das  notícias que o técnico do Chelsea, José Mourinho, estaria disposto a negociar o passe de David Luiz, o interesse dos principais clubes europeus aumentou substancialmente pelo craque brasileiro e  o Bayern, do técnico  Josep Guardiola já acendeu a luz verde,   tentado garantir para o seu elenco de luxo o zagueiro Davi Luiz. Também fontes ligadas ao Barcelona de Neymar e Messi têm afirmado como hipótese provável a ida de Davi Luiz para o Barça. E fala-se numa soma de 50 milhões de euros como valor para negociar o jogador  já no mercado deste  inverno europeu.

         Sim, Aquele “perigoso poder independente” de que alguns técnicos tanto gostam e de que tanto extravasam, quando não encontra limites da parte do dono  ou da diretoria do clube, acaba sempre desembocando em cultos de personalidade e de prepotência do técnico até mesmo em prejuízo do elenco dos jogadores e da estrutura funcional-orgânica da agremiação.  Afinal o técnico tem  o poder-dever de indicar ao dono ou a diretoria do clube os jogadores que ele julga serem prescindíveis ou  imprescindíveis para os objetivos do clube, mas sem jamais incluir no núcleo desse poder-dever os sentimentos ou ressentimentos pessoais em relação à pessoa deste ou daquele jogador. Tem jogadores,   que são inquestionáveis no elenco dos seus clubes, como Davi Luiz o é no Chelsea. E quando um técnico  desembarca no clube e simplesmente  diz: “não quero este ou aquele jogador porque o jeito como ele joga não se enquadra no meu planejamento”, então o treinador deve montar o seu próprio clube, porque ele  demonstra que não respeita nem os jogadores e nem os seus históricos conquistados ao serviço da agremiação, Aliás,  o técnico não ensina ao craque este ou aquele jeito de jogador, ao treinador, para uma determinada competição,  só compete estabelecer determinada filosofia técnica para a ou as disputas.

     Em matéria de futebol, não se  inventam bicicletas que, aliás, a mais antiga foi inventada em 1818 pelos franceses que a chamaram de “cavalinho-de-pau”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *