Home
Você está aqui: Home » banner principal » Na Federação Brasiliense de Futebol, nada é por acaso, tudo é absolutamente produto da incompetência, imoralidade, corrupção, fraudes, furtos, subornos e desprezo pelos torcedores

Na Federação Brasiliense de Futebol, nada é por acaso, tudo é absolutamente produto da incompetência, imoralidade, corrupção, fraudes, furtos, subornos e desprezo pelos torcedores

23sddddddd

 

             Na  Federação Brasiliense  de Futebol, nada é por acaso, tudo é, absolutamente, produto da incompetência, imoralidade, corrupção, fraude, furto, suborno e desprezo pelos torcedores.      

          “os dirigentes dos clubes vão aprovar, porque a cabeça  deles é menor que a cabeça do alfinete, basta um qualquer 5 mil reais, eles votam a favor”-afirmam Fábio Simão, Presidente oculto da Federação Brasiliense de Futebol e Jozafá Dantas Presidente fantoche da FBF.

     É esta a doutrina da corrupção, do suborno,  veadagem, vagabundagem,  falta da dignidade e de desrespeito para com os torcedores,  que se estabeleceu nesta Diretoria da FBF.

                Dissemos, num dos artigos publicados por nós neste “saite”, que Jozafá Dantas não tem as mínimas condições intelectuais e morais de continuar no cargo de Presidente da Federação. Confirmamos que ele já sabia que os estádios não tinham condições para a realização dos jogos do Candangão 2015, e nada fez para conseguir os laudos da policia militar do DF e que a decisão judicial à que ele se referia, não era recente,  essa decisão já é antiga, mas  a preguiça, a irresponsabilidade  e a inabilidade do Jozafá Dantas, deixaram tudo como estava para ver como é que ficaria, e depois, simplesmente, publicar um comunicado –e que se lixem os clubes, os torcedores e a imprensa!

      Afirmamos nesse artigo que os clubes  participantes do Candangão 2015, iriam,  mais uma vez, cair no engano e nos laços da mentira do Fábio Simão e do Jozafá  Dantas e assim iniciariam o campeonato, sem dinheiro, sem patrocínio e sem possibilidades de receberem qualquer renda porque vão ter que jogar com portões fechados, portanto, sem público pagante. E reafirmávamos nesse artigo que o Candangão 2015 seria um campeonato de conseqüências desastrosas  pré anunciadas!

       Naquele artigo publicado neste saite, também alertávamos pelo  risco de haverem desistências de alguns clubes ao longo do campeonato ou que ´poderiam acontecer  greves de jogadores por falta de pagamento de salários.

         Dissemos também que o mais grave de tudo é que, uma vez  atingido este ponto crítico de rompimento do tecido morfológico institucional, em que se encontra a gestão do sistema caótico, incompetente e corrupto da Federação Brasiliense de Futebol, ou ele se romperá fatalmente pondo fim à instituição ou, então, a  insustentabilidade   dialética funcional,  de per si,  repeliria tudo o que lhe é contrário – o barco se afundaria e os ratos…os veados… e os clubes irresponsáveis, eles todos, certamente, pulariam fora.

      Porém, concluímos aquele artigo enfatizando que, para quem é conhecedor da fenomenologia hegemônica e da sua racionalidade, resta obviamente, a   certeza de que o poder absoluto e o engano  da impunidade, é prelúdio cognoscível instrumental  e  a certeza acerca do esgotamento  do fim do sistema.

     Na passada sexta feira,  dia 13 DO CORRENTE MÊS DE FEVEREIRO, não deu outra:  UM GRUPO DE CONSCIENTES TORCEDORES, TOMARAM A LEGITIMA INICIATIVA POPULAR QUE JÁ ERA DE ESPERAR!   MARCHARAM EM DIREÇÃO À  SEDE DA FEDERAÇÃO BRASILIENSE DE FUTEBOL E LÁ EMPUNHARAM FAIXAS E BRADARAM PELO FIM DA CORRUPÇÃO, DA LADROAGEM, DA  INCOMPETÊNCIA  E DO ABUSO DE AUTORIDADE DO JOZAFÁ DANTAS, FÁBIO SIMÃO E DOS DEMAIS LACAIOS DO SUBORNO E DA IMORALIDADE no futebol do Distrito Federal!

    De fato, a desfaçatez e a falta da decência dessa turminha de veados incompetentes e corruptos  no comando do futebol de Brasília, atingiu o ponto crítico de rompimento do tecido morfológico institucional.  A gestão do sistema não pode ser mais caótica, incompetente e corrupta do que já é na Federação Brasiliense de Futebol!

     O sistema está no ponto em que ele poderá, A QUALQUER MOMENTO,  se  romper fatalmente pondo fim à instituição ou então a insustentabilidade dialética funcional,  de per si,  repelirá tudo o que lhe é contrário – o barco,já começou a se afundar e os ratos…os veados e… os dirigentes de clubes irresponsáveis que vendem os seus votos por 5 mil reais, eles todos, certamente, pularão fora!

      E aqui vai uma palavra de honra:

   O Candangão 2015 será decretado NULO pelo Poder Judiciário!

 O Regulamento do Candangão 2015, COMO A SEGUIR VAMOS REVELAR E PROVAR,  está eivado de vícios com DNA jurídico de nulidade absoluta!

    Fábio Simão, Presidente oculto da Federação Brasiliense de Futebol e Jozafá Dantas, Presidente fantoche da FBF, ultrapassaram todos os limites possíveis da incivilidade jurídica. Rasgaram o estatuto da Federação e o estatuto  da CBF e  atolaram no lamaceiro a lei do desporto brasileiro (Lei 9.615/98) E O ESTATUTO DO TORCEDOR.

  Para eles, o que conta é o preço de cinco mil reais  que pagam por cada um dos votos dos clubes da primeira divisão, cujo peso é de OITO, cada clube. E basta pagarem  essa bagatela, os representantes desses clubes votam SIM & SIM ilimitado!

           E eles, Fábio Simão e Jozafá Dantas, revogam e rasgam qualquer  preceito do estatuto da Federação, sem precisarem de cumprir nenhuma formalidade.

                       Por incrível que pareça, Fábio Simão  e  Jozafá Dantas revogaram sozinhos  normas expressivas do estatuto da Federação Brasiliense de Futebol, sem necessitarem de convocar a Assembléia Geral da entidade para  alterar o estatuto. Eles colocaram  o Regulamento do 40º. Campeonato da Primeira Divisão (Candangão 2015) como conjunto de normas superiores às normas do Estatuto da Federação Brasiliense de Futebol. E nesse Regulamento alteraram o estatuto da FBF como bem entenderam.

           Desta feita, no artigo 24 do Regulamento do Candangão2015, colocaram  a seguinte norma e os dirigentes baixaram a cabeça e nada disseram:

           Art.24 – A FBF é responsável pela elaboração da tabela e Regulamento Especifico do campeonato, conforme deliberação do conselho arbitral/congresso técnico.”

                Vejam, por favor, o que está escrito no artigo 51 § 2º, do estatuto da FBF:

      “ § 2º. Compete aos Conselhos arbitrais, primeiramente, elaborar e discutir propostas dos regulamentos dos torneios e campeonatos, dela constando a forma de disputa, o número de turnos e participantes em cada turno ou fase, bem como a forma de distribuição de renda das partidas, inclusive as  frações referentes ao futebol amador das entidades profissionais.”

              Fábio Simão e Jozafá Dantas,como não admitem nenhum debate ou discussão democrática, baniram essa norma estatutária e,  assim somente para mero efeito mediático,  Jozafá convocou o Conselho Arbitral, mas não permitiu que o Conselho elaborasse, discutisse e deliberasse sobre o conteúdo de todo o texto do  Regulamento, pois ele mesmo Jozafá, sozinho elaborou a tabela da competição e colocou no Regulamento as  cláusulas que bem entendeu, restringindo direitos dos clubes e criou obrigações para os clubes, a seu bel prazer,  assinou sozinho o Regulamento e  juntamente com o Diretor do Departamento de Futebol o publicou. (Anotamos que,  pelo estatuto da FBF, o Diretor do Departamento de Futebol nem sequer tem acento no Conselho Arbitral).                    

                Com este poder autoritário e absoluto, decretado por  eles mesmos, Fábio Simão e  Jozafá Dantas, e no tocante ao principio do acesso e descenso eles  colocaram no Regulamento do Candangão 2015 o seguinte artigo:

“Art 11º.- As duas equipes com menor pontuação na soma de classificação geral da primeira fase, serão rebaixadas para a segunda divisão do futebol profissional de 2016, observadas as seguintes situações:

I…

II…

III- Se após a publicação da tabela uma equipe desistir do campeonato, esta será automaticamente rebaixada, seguindo a competição com apenas um descenso classificatório.”

                      Com este preceito criado, unilateralmente,  por eles,  Fábio Simão e Jozafá Dantas, o campeonato seguiu o seu rumo, sem a substituição do clube que desistiu.  Fábio Simão e Jozafá Dantas eliminaram  o direito liquido e certo do preenchimento dessa vaga  pelo  clube classificado a seguir, em relação à posição do clube Samambaia desistente, na tabela de classificação da competição que originou a vaga .

                       Eles, Fábio Simão e  Jozafá Dantas, entenderam por bem que podem afastar a regra  da jurisprudência da  substituição de clubes, na hipótese de desistência que vimos, por exemplo, no § 1º. do art. 21 do Campeonato Brasileiro 2014 adotado pela própria CBF:

  “Art. 21 – Um clube poderá desistir de disputar o Campeonato Brasileiro da Série D de 2014, desde que o faça com uma antecedência mínima de 30 dias do início da competição, explicando os motivos através de ofício dirigido à sua federação.

§ 1° – A substituição de clubes, na hipótese de desistência de participação, dar-se-á, segundo os seguintes critérios:

a)    A vaga pertencerá ao clube classificado a seguir, em relação à posição do clube desistente, na tabela de classificação da competição que originou a vaga e assim sucessivamente, até esgotar-se o total de clubes disputantes do certame.

                         O Estatuto da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) no seu artigo 10º. determina que:

“Art. 10- Os estatutos  das entidades estaduais de administração do desporto (federações) e de prática do  futebol, filiadas à CBF e das ligas nacionais, se constituídas e quando admitidas na CBF, subordinar-se-ão ao da CBF cujas normas e regras orientarão a organização, competência e funcionamento daquelas.”

    Ora, com a classificação final das equipes que participaram do campeonato da segunda divisão do futebol profissional do DF 2014, havendo ocorrido  o acesso obrigatório da segunda para a primeira divisão das duas primeiras equipes classificadas, quais sejam,  o FC Samambaia e o  Cruzeiro Futebol Clube, havendo, posteriormente, o FC Samambaia  desistido de participar do Candangão 2015 e, sendo a equipe do Paranoá  classificada em terceiro lugar no campeonato dessa mesma segunda divisão, imediatamente inferior, por força da lei, observada  a ordem de classificação técnica,  cabe  ao Paranoá Esporte Clube o direito liquido e certo de ser chamada pela FBF  a  ocupar a vaga deixada voluntariamente pelo FC Samambaia,  sem nenhuma possibilidade de qualquer poder discricionário do Presidente da FBF nesse sentido. Até por que, à este respeito, lembra, soberanamente, o legislador federal na Lei 10.671/2003 no seu  art. 10. § 2º. § 2o- Fica vedada a adoção de qualquer outro critério”

               Pelo primado da observância   de ser sempre  a ordem de classificação técnica obtida no Campeonato da Divisão de Futebol Profissional imediatamente inferior, resta claro, que essa ordem é decrescente em caso de desistência do primeiro, o segundo será chamado para assumir o lugar destinado ao primeiro e assim sucessivamente, desistindo o segundo, o terceiro assumirá a vaga, desistindo o terceiro, o quarto assumirá a vaga…

                Mas a burotrina do Fábio Simão, Presidente oculto da Federação Brasiliense de Futebol, e de  Jozafá Dantas Presidente fantoche da  FBF, não ficou só por aqui. Eles revogaram,  também sozinhos, outro preceito do estatuto da FBF, através de uma outra aberração jurídica colocada por eles no Regulamento do Candangão  2015.

                 Com efeito, o §  3º. do art. 51 do estatuto da FBF diz, in verbis,  que:

  “§  3º- Discutida e encaminha a proposta do Regulamento da Competição a mesma será, no prazo de  07 (sete) dias, ratificada de forma expressa pelos membros do Conselho Arbitral, pela anuência de 2/3 dos votos. “

                  No art. 22 do Regulamento do Candangão 2015,  Fábio Simão e Jozafá Dantas, criaram sozinhos uma norma  que  contraria frontalmente aquela norma do estatuto.  Nesse  artigo 22 do Regulamento do Candangão 2015, eles escreveram o seguinte:

“Art.22 – As equipes que tenham concordado em participar da competição reconhecem a legitimidade do presente Regulamento e o aprovam integralmente, sem restrições.”

             Quer dizer, além daquele vagabundo poder criado por eles para  elaborarem e assinarem sozinhos a tabela e o Regulamento Especifico do campeonato, também aqui e agora, as equipes que, ao concordarem participar deste campeonato, em contrapartida e concomitantemente entendem o Fábio Simão e o  Jozafá  Dantas, que essas equipes deram à eles o poder de alterarem a Carta Maior da entidade (o estatuto) para redigirem, assinarem sozinhos o Regulamento da competição sem a necessidade do Regulamento ser ratificada de forma expressa pelos membros do Conselho Arbitral pela anuência de 2/3 dos votos, como determina o estatuto da entidade. “

              Mas a sanha do poder absoluto do Fábio Simão e do  Jozafá Dantas, Presidentes da FBF vai ainda mais longe.

            O §  4º. do art. 51 o estatuto da FBF diz, in verbis, que:

“§  4º.- É também de sua competência (do Conselho Arbitral) interpretar as disposições dos regulamentos baixados na forma deste artigo, bem como resolver as dúvidas  e as omissões que surgirem na sua execução

             Porém, abusivamente, no art.21 do  Regulamento do Candangão 2015, Fábio Simão e  Jozafá  Dantas criaram soberanamente uma norma contrária. que diz o seguinte:

“Art.21- Os casos omissos no presente Regulamento Específico da Competição, serão resolvidos pela Diretoria da FBF com base no Regulamento Geral as Competições da CBF e nas normas estatutárias da FBF.”

                        Tudo isso é o minimo do montão da sujeira praticada por essa turma corrupta que está comandando o futebol profissional do Distrito Federal.

                       Este site tem denunciado os desmandos, ilegalidades, roubos, incompetências e imoralidades que esses criminosos de colarinho encardido praticam todos os dias na Diretoria da Federação Brasiliense de Futebol. E jamais negamos que temos levado, corajosamente,  a nossa colaboração ao Ministério Público, no combate e busca da reposição da justiça e da moralidade na Federação Brasiliense de Futebol. Se eles, Jozafá Dantas e Fábio Simão entendem que a nossa busca de ação junto do Ministério Público é uma ameaça, é porque não entendem que a afirmação do uso  legitimo da força do direito, é prerrogativa  da mídia  e de qualquer cidadão de bem, num estado republicano de direito. Até por que é bom que fique claro para eles que qualquer ato que possa atentar contra a nossa integridade física, já  está sendo devidamente monitorado  pelas vias das autoridades competentes.


1212

Sem Título-1

Em breve os cidadãos de Brasília, verão algemas nessas mãos!

      Daqueles quase 7 milhões de reais da renda do jogo Flamengo  x Santos, na inauguração do estádio Mané Garrincha, roubados dos cofres da Federação Brasiliense de Futebol, vocês se lembram?

  E do roubo do dinheiro da  renda do aluguel pirata do restaurante do estádio Mané Garrincha para o chamado Parlamento Restaurante, vocês se lembram?

8

       O Ministério Público do Distrito Federal, não cochila não! Acreditem, ali tem gente que dá sangue, suor e lágrimas por um Brasil honrado!

      Vamos continuar  acreditando na Justiça e aguardando somente mais alguns dias para ver esses vagabundos na telinha da globo algemados!

Sobre o Autor da Postagem

Quantidade de Postagens : 378
Ir para Cima